Fale Conosco
  • phone
    (11) 98265-3769
  • (11) 2721-9423
  • location_on

    Rua Ângelo Santesso, 16 / Jardim Itamarati - CEP: 03931-040 São Paulo - SP

Deixe sua Mensagem

    Vamos elevar seus negócios ao próximo nível?

    

    Capital de giro: o que é, para que serve e como calcular

    Esse recurso é utilizado pela empresa para financiar despesas de curto prazo e, por isso, merece atenção do administrador. Saiba tudo a respeito

    O setor financeiro da empresa é um dos que demandam mais atenção do administrador, pois é por meio dele que serão gerenciados os recursos necessários para o funcionamento do negócio. Nesse contexto, o capital de giro é um dos aspectos que exige maior cuidado, uma vez que permite a continuidade das atividades diárias.

    Se você está começando a empreender, precisa saber o conceito desse recurso, como calculá-lo e quando é preciso solicitar empréstimos para capital de giro. Mas não precisa se preocupar, o Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC) trouxe essas informações para você. Confira!

    O que é e para que serve o capital de giro

    Capital de giro é o recurso utilizado pela empresa para financiar despesas de curto prazo. Ele ajuda a cobrir eventuais déficits de caixa, manutenção de estoques, pagamento de impostos e salários e pagamento a fornecedores.

    Fatores como problemas de gerenciamento, aspectos econômicos do mercado e ramo de atividade explorado podem fazer com que a empresa sinta a necessidade de recorrer a empréstimos voltados diretamente para o capital de giro. Porém, como se trata de um recurso para utilização a curto prazo, em muitos contextos isso pode ser um indicativo de que o negócio não consegue pagar as suas contas.

    Ele costuma ter taxas mais caras do que outros tipos de empréstimos. Portanto, é preciso se preocupar em ter um bom gerenciamento para não precisar solicitar dinheiro emprestado — ou pedir o mínimo necessário — de recursos para capital de giro.

    Como calcular a necessidade de capital de giro

    O cálculo da Necessidade de Capital de Giro (NCG) é muito simples. Basta subtrairmos o Passivo Circulante, que é a soma das despesas e contas a pagar dentro do atual exercício contábil (PC), do Ativo Circulante (AC), que são os recursos disponíveis em caixa, em aplicações financeiras e bancos e a receber dos clientes em curto prazo, ou seja, também dentro do presente exercício, conforme a fórmula abaixo:

    NCG = AC – PC

    Além das linhas de crédito específicas para captar recursos para capital de giro, ele pode ser conseguido de outras formas, como descontos de duplicatas ou liquidação de estoques.

    Os administradores também podem recorrer a outras táticas para melhorar o desempenho financeiro da organização. Continue lendo o conteúdo sobre capital de giro no Blog do Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC).

    Nas quartas falamos de crédito

    Conteúdos que buscam explicar o cenário do acesso ao crédito no Brasil e outros temas que afetam a vida do empresário brasileiro serão divulgados na Agência CNI de Notícias nas quartas-feiras.

    Texto: Blog do Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC) Para a Agência CNI de Notícias

    Marcadores:

    Não perca mais nenhum post!

    Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.


      

      Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0