Fale Conosco
  • phone
    (11) 98265-3769
  • (11) 2721-9423
  • location_on

    Rua Ângelo Santesso, 16 / Jardim Itamarati - CEP: 03931-040 São Paulo - SP

Deixe sua Mensagem

    Vamos elevar seus negócios ao próximo nível?

    

    Por que a auditoria contábil é importante?

    A auditoria contábil é conhecida como independente ou externa e tem a finalidade de expressar a opinião do auditor, a respeito do conjunto das demonstrações contábeis elaboradas pela empresa auditada. O termo é genérico e pode ser adotado em auditoria interna, de qualidade (ISO) ou independente, sendo a última, a que prevalece em termos de importância pública.

    O auditor independente é contratado para, de forma isenta, emitir relatório atestando se as demonstrações contábeis são fidedignas sob a ótica da doutrina e dos princípios contábeis, espelhando à realidade patrimonial (valor contábil da empresa). Tal opinião fornece o suporte aos interessados nos dados das empresas auditadas. A avaliação do auditor tem fé pública, oferece credibilidade aos investidores, proprietários, credores, fornecedores e analistas de créditos.

    Por que a auditoria contábil é importante?

    Esses profissionais são contratados com base na qualificação. O contador deve ter o registro ativo no Conselho Regional de Contabilidade, no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) e na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Normalmente, no ano em que a empresa está apurando (encerrando) as demonstrações contábeis, eles são admitidos e iniciam o trabalho na organização no final do primeiro semestre e ou no início do segundo, concluindo a auditoria no primeiro trimestre do ano subsequente.

    1. Ao final da avaliação do ambiente de controle interno e de riscos, o contador terá uma visão geral sobre a confiança a respeito da gestão da empresa e define os volumes de amostras estatísticas a serem adotadas para examinar a qualidade e a confiabilidade dos saldos das contas patrimoniais e de resultados. Caso identifique erros e inconsistências contábeis, ele comunica à administração para que tome as providências cabíveis com o objetivo de regularizá-las.

    Na conclusão dos levantamentos, o auditor emite a aprovação das demonstrações contábeis (sem ressalvas), ou aprova com ressalvas (divergências entre a opinião do auditor e a administração da empresa) que não foram corrigidas, mas que não afetam de forma relevante o entendimento do usuário no conjunto das demonstrações contábeis. Caso ele identifique fatos significativos que distorçam a compreensão dos usuários e possam levar a erros significativos, o auditor independente relata uma opinião adversa (reprovando as demonstrações contábeis).

    Em casos excepcionais, o auditor, por dificuldades para realizar o balanço, poderá emitir uma Abstenção de Opinião por Limitação de Escopo, ou seja, ele pode se negar a opinar por não ter tido acesso à documentação relevante, aos bens, às informações que o impediram de examinar as principais contas da empresa.

    Nem todas as empresas são obrigadas a contratarem auditores independentes, somente aquelas por força legal, como é o caso das sociedades anônimas de capital aberto, instituições financeiras, seguradoras, operadoras de saúde. Devido às responsabilidades e aos custos altos em relação à equipe de especialistas, os serviços de auditoria são caros.

    As empresas contratantes, geralmente, são de grande porte pois elas entendem a importância do processo, independente, da obrigatoriedade legal.

    Quem não contrata perde a oportunidade de compreender melhor a própria gestão, pois os auditores colocam para os contratantes as principais deficiências de gerenciamento e os riscos identificados durante o processo de auditoria. Vale lembrar, que para avaliação de riscos de crédito (rating), as empresas auditadas são mais bem avaliadas.

    A Americanas, o banco Pan Americano, Santos, e outras organizações no exterior, como a Parmalat e da Enron, são exemplos de empresas auditadas. Nenhuma delas está livre de ser surpreendida por práticas que fogem aos padrões corretos de conduta e de gestão. Por este motivo, o trabalho de auditoria é complexo e envolve muitas responsabilidades, cabendo ao profissional ter atenção para exercer a atividade com segurança. O auditor independente corre o risco de tomar conhecimento de fatos desagradáveis, mesmo depois de ter concluído o trabalho e procurar se defender.

    Artigo escrito por Antônio Miguel Fernandes, professor de ciências contábeis da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio.

    *O conteúdo dos releases assinados não representa necessariamente a opinião do Mackenzie.

    por Agência Viveiros

    Fonte: Por que a auditoria contábil é importante?

    O post Por que a auditoria contábil é importante? apareceu primeiro em Em manutenção.

    Marcadores:

    Não perca mais nenhum post!

    Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.


      Por que a auditoria contábil é importante?

      Por que a auditoria contábil é importante?
      A auditoria contábil é conhecida como independente ou externa e tem a finalidade de expressar a opinião do auditor, a respeito do conjunto das demonstrações contábeis elaboradas pela empresa auditada. O termo é genérico e pode ser adotado em auditoria interna, de qualidade (ISO) ou independente, sendo a última, a que prevalece em termos de importância pública.

      O auditor independente é contratado para, de forma isenta, emitir relatório atestando se as demonstrações contábeis são fidedignas sob a ótica da doutrina e dos princípios contábeis, espelhando à realidade patrimonial (valor contábil da empresa). Tal opinião fornece o suporte aos interessados nos dados das empresas auditadas. A avaliação do auditor tem fé pública, oferece credibilidade aos investidores, proprietários, credores, fornecedores e analistas de créditos.

      Por que a auditoria contábil é importante?

      Esses profissionais são contratados com base na qualificação. O contador deve ter o registro ativo no Conselho Regional de Contabilidade, no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) e na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Normalmente, no ano em que a empresa está apurando (encerrando) as demonstrações contábeis, eles são admitidos e iniciam o trabalho na organização no final do primeiro semestre e ou no início do segundo, concluindo a auditoria no primeiro trimestre do ano subsequente.

      1. Ao final da avaliação do ambiente de controle interno e de riscos, o contador terá uma visão geral sobre a confiança a respeito da gestão da empresa e define os volumes de amostras estatísticas a serem adotadas para examinar a qualidade e a confiabilidade dos saldos das contas patrimoniais e de resultados. Caso identifique erros e inconsistências contábeis, ele comunica à administração para que tome as providências cabíveis com o objetivo de regularizá-las.

      Na conclusão dos levantamentos, o auditor emite a aprovação das demonstrações contábeis (sem ressalvas), ou aprova com ressalvas (divergências entre a opinião do auditor e a administração da empresa) que não foram corrigidas, mas que não afetam de forma relevante o entendimento do usuário no conjunto das demonstrações contábeis. Caso ele identifique fatos significativos que distorçam a compreensão dos usuários e possam levar a erros significativos, o auditor independente relata uma opinião adversa (reprovando as demonstrações contábeis).

      Em casos excepcionais, o auditor, por dificuldades para realizar o balanço, poderá emitir uma Abstenção de Opinião por Limitação de Escopo, ou seja, ele pode se negar a opinar por não ter tido acesso à documentação relevante, aos bens, às informações que o impediram de examinar as principais contas da empresa.

      Nem todas as empresas são obrigadas a contratarem auditores independentes, somente aquelas por força legal, como é o caso das sociedades anônimas de capital aberto, instituições financeiras, seguradoras, operadoras de saúde. Devido às responsabilidades e aos custos altos em relação à equipe de especialistas, os serviços de auditoria são caros.

      As empresas contratantes, geralmente, são de grande porte pois elas entendem a importância do processo, independente, da obrigatoriedade legal.

      Quem não contrata perde a oportunidade de compreender melhor a própria gestão, pois os auditores colocam para os contratantes as principais deficiências de gerenciamento e os riscos identificados durante o processo de auditoria. Vale lembrar, que para avaliação de riscos de crédito (rating), as empresas auditadas são mais bem avaliadas.

      A Americanas, o banco Pan Americano, Santos, e outras organizações no exterior, como a Parmalat e da Enron, são exemplos de empresas auditadas. Nenhuma delas está livre de ser surpreendida por práticas que fogem aos padrões corretos de conduta e de gestão. Por este motivo, o trabalho de auditoria é complexo e envolve muitas responsabilidades, cabendo ao profissional ter atenção para exercer a atividade com segurança. O auditor independente corre o risco de tomar conhecimento de fatos desagradáveis, mesmo depois de ter concluído o trabalho e procurar se defender.

      Artigo escrito por Antônio Miguel Fernandes, professor de ciências contábeis da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio.

      *O conteúdo dos releases assinados não representa necessariamente a opinião do Mackenzie.

      por Agência Viveiros

      Fonte: Por que a auditoria contábil é importante?

      O post Por que a auditoria contábil é importante? apareceu primeiro em Em manutenção.

      Marcadores:

      Não perca mais nenhum post!

      Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.


        
        Iniciar conversa
        1
        Podemos ajudar?
        Olá!
        Podemos ajudar?